Cultura

CULTURA

O município tem uma grande diversidade cultural, especialmente ligada as expressões da cultura popular. Com o passar dos anos, algumas delas foram sendo esquecidas, porém existe um movimento de pessoas ligadas à cultura popular belenense que estão tentando resgatar essas expressões culturais do município. São diversos folguedos, danças, expressões artísticas e festas populares como as quadrilhas juninas, o boi-de-reis, o pastoril, a ciranda, o artesanato, o carnaval, as festas religiosas do Natal e da Padroeira, a feira livre e o maior evento cultural da atualidade no município: a festa do São Pedro.

Folguedos e Danças

Quadrilha Junina

 

A quadrilha junina, de origem europeia chegou ao Brasil e tornou-se popular na Região Nordeste. Geralmente são apresentadas nos meses de junho e julho. Todos os anos em Belém são promovidos concursos para eleger a melhor quadrilha junina do município, dentro do calendário da festa do São Pedro. As quadrilhas juninas belenenses se destacam pela alegria, pelas cores das roupas e pelos personagens folclóricos encenados. Contudo, a população também participa dessa dança folclórica improvisando-a nas ruas e nos sítios do município, dançando ao som do forró pé-de-serra e ao redor das tradicionais fogueiras de São João.

Boi-de-reis

O boi-de-reis, ou simplesmente, o boi de Luis Camilo, era famoso na região. O Luís Camilo foi o principal precursor deste folguedo a partir na década de 1950 no município de Belém. Apresentava-se em diversas cidades da Paraíba e do Rio Grande do Norte. Faleceu em 17 de dezembro de 1996. Outro nome bastante conhecido no município e que também participava das apresentações do boi-de-reis é o Seu Donato.

Pastoril

Banda de Pífano. Ornamentação Junina de 2008

 

O pastoril, também era um folguedo bastante popular e tradicional em Belém. Existiam vários grupos que se apresentavam na cidade e na zona rural. Através dos duelos entre as fitas azul e vermelha (encarnada), o grupo de pastoril tentava convencer o público ditando versos e canções para ao final da apresentação receber a recompensa em dinheiro. As pessoas pioneiras neste trabalho foram às senhoras: Joana Ferreira Teixeira, conhecida por Dona Nita da Catequese, Elisa de Quinca e Cecília Januário. Segundo relato do Sr. Osvany Sales de Assis, foi numa apresentação do pastoril que o então Governador Flávio Ribeiro Coutinho enamorou-se por uma mestra chamada Flávia, na época em que ele era estudante e passava férias no povoado de Belém na casa de um amigo, o doutor Clóvis Cruz.

Ciranda

A ciranda, classificada como dança de roda, era apresentada sempre nos finais de semana, e especialmente, nas festas da Padroeira. Embalado ao som do triângulo, da zabumba e do pífano, o povo belenense se divertia com o ritmo desses instrumentos musicais e com a alegria da dança circular. Os principais belenenses que dirigiram ou participaram das cirandas foram, entre outros, os senhores: Manoel Fidelis, morador do sítio Bom Retiro, e Felizardo, tocador de pífano.

Artistas Populares

Artistas Populares

 

O ator José Dumont é um artista belenense que se destacou em nível nacional, ele viveu praticamente toda a sua infância, e parte da adolescência, no município de Belém, especialmente no Distrito de Rua Nova.

Premiado ator brasileiro, José Dumont participou de várias telenovelas na TV, recebendo vários prêmios nos festivais de Gramado, de Brasília, de Havana, do Cinema Brasileiro de Miami, devido suas diversas atuações no cinema nacional. Um ícone da cultura cinematográfica brasileira.

Além do ilustre José Dumont, outros belenenses se destacaram na região com seus grupos musicais de forró, de teatro amador, de folguedos e danças, que demonstram a autenticidade e criatividade do povo belenense.

Alguns artistas populares e bandas de forró do município de Belém da Paraíba:

  • Marrom e Filhos da Paraíba;
  • Chiquinho de Belém (ex-músico da banda de forró Magníficos / toca sanfona ou acordeão);
  • Forrozão Vip;
  • Marronzinho e Edna Monteiro (vocalistas da banda Explosão Nordestina);
  • Nildo dos teclados;
  • Eziélio Show;

A feira livre

Feira Livre

 

A feira livre no município, realizada todas as segundas-feiras desde o início do povoado, no final do século XIX, é um evento que mistura diversos elementos culturais do Nordeste brasileiro. Na feira livre de Belém a população pode encontrar desde as variadas bancas de brinquedos artesanais aos livretos da literatura de cordel, as panelas e imagens feitas de barro aos utensílios de alumínio, os rolos pretos de fumo aos produtos feitos de couro de bode. Pode-se encontrar ainda, os artistas populares vendendo suas bebidas “milagrosas” contra diversos males, feitas das raízes da flora da região,e as bancas de bolos e bebidas caseiras. Enfim, uma feira livre que através desses e de outros elementos se perpetua durante décadas.

Artesanato

Artesanato

 

O artesanato belenense caracteriza-se pela simplicidade dos objetos e pela criatividade dos artesãos. São artesanatos feitos de barro, de bambu, da casca do coco, do algodão e de outros elementos da natureza, transformados em utensílios domésticos como panelas, potes para armazenar água, imagens sacras e objetos de decoração. Belém dispõe da casa do artesão criado pela Associação Bejeira de Artesãos, iniciativa dos artesãos do municipio de Belém, temos ainda a fabricação de bonecas de pano das mulheres do PAIF, cuja produção é exportada pra outros paíse.

O artesão belenense de maior destaque na região foi Henrique José Gonçalo, conhecido por Henrique Santeiro, devido sua habilidade em fazer imagens sacras de santos católicos através do gesso, do barro e talhados na madeira. Uma de suas obras mais famosa é a imagem do Cristo crucificado, onde ficou exposta vários anos na Igreja matriz da Sagrada Família em Belém. Seus trabalhos foram expostos ainda, em feiras de artesanato em João Pessoa e publicados na 3ª edição do Atlas Escolar da Paraíba pela editora grafset. O artesão Henrique Santeiro era deficiente físico e morava numa comunidade rural do município de Belém, denominada de Angelim. Faleceu em 23 de junho de 2001.

Carnaval

O carnaval em Belém remonta o período em que o mercado público do município, o Mercanclub, tornava-se o local das festas e da folia carnavalesca. Porém, com a construção do ginásio poliesportivo o “Xaviezão” em 1990, o Mercanclub foi extinto e as festas transferidas para este novo local.

Atualmente, o carnaval belenense caracteriza-se pelos blocos de rua. São diversos blocos que saem pelas ruas da cidade todos os anos no mês de fevereiro, juntando centenas de pessoas para brincarem o carnaval com as tradicionais serpentinas, máscaras, confetes e marchinhas carnavalescas.

Festa de São Pedro

Festa de São Pedro

 

Criada em 1997, a festa do São Pedro é realizada no fim de junho na cidade, e reúne todos os anos milhares de pessoas vindas da Paraíba e dos estados circunvizinhos como o Rio Grande do Norte e o Pernambuco. Normalmente são três dias de festa animados pelos principais grupos ou bandas musicais de forró que se apresentam na região Nordeste e no Brasil. É o maior evento cultural da atualidade no município. No decorrer das várias edições dos festejos, além das bandas de forró, artistas de renome nacional como Fagner, Zé Ramalho, Leonardo e Cláudia Leite, da Banda Babado Novo, se apresentaram no São Pedro de Belém, transformando esse evento numa das principais festas populares do interior da Paraíba.

Palco da Festa de São Pedro

Ornamentação da Praça 6 de Setembro durante as Festas Juninas

 

Belém se destaca na região pelos seus pratos tipicos servidos nos mais diversos restaurantes da cidade, principalmente nas segundas feiras nas dependencias do mercado publicomunicpal, o picado de porco, macacheira com carne de sol, buchada de caprrino, a galinha caípira entre outros são os mais procurados.

Pratos Tipicos

Belém se destaca também na região a fomosa solda de João de Deus, feita a base de melaço de rapadura, farinha de trigo, açucar e bicarbonato de sodio, para sentir o sabor so mesmo parando em uma das mercearias da cidade e pedindo a famosa solda de João de Deus.

Nos alimentos industrializados contamos com a Industria de Laticinios da Paraíba-ILPLA, famosa por fabricar deliciosos produtos a base de leite, como queijos, iogurtes, requejão e etc, contamos ainda com uma fabrica de pipocas-SALTS, exportando pra avrios estados a deliciosa pipoca belenense.

Funcionários da ILPLA durante Fabricação de Ricota

Queijos de Manteiga Fabricados na ILPLA

 

Industria Alimentícia 3 de maioA industria 3 de maio é a mais famosa industria belenense, exportatos pra todo o Brasil os famos biscoito 3 de maio em varias versões como a camponesa doce e salgada a cream craker, biscoitos maria, e rosquihas de sabor Chocolate e leite.

Indústria Alimentícia 3 de Maio